Prêmio Braskem


O tempo passa tão rápido... Parece que foi ontem que eu cheguei de Paris, tendo passado um mês maravilhoso com meu Coração e mais um amigo viciado em brigadeiro nas madrugadas frias (Sim! Éramos os felizes donos de Paris!)... Parece que foi ontem que, chegando de uma viagem mágica, eu achava que nada de bom poderia superá-la. Parece que foi ontem que pisei no Teatro Gamboa Nova e fui, de forma desajeitada mas com muita vontade de acertar, ajudar na produção de uma peça chamada "Entre Nós". Um amigo (só amigo???? Ele nunca mais será só isso. Mesmo que queira...) estava no elenco, e a produtora (também amiga!) estava viajando. Daí, fui chegando e fui ficando....

E conheci o outro ator da peça. Ele achava que eu morava em Paris... Bom, naquela época, meu Coração morava lá, o que é quase a mesma coisa, então não posso dizer que ele estava totalmente errado. Enfim, fui ficando...

A temporada terminou, a produtora voltou e outras pautas e temporadas vieram. Eu continuei ficando. 

Ficava por ali... Tirando foto... Curtindo o talento desses meninos, que me encantavam a cada dia. Mesmo assistindo quase todos os dias, já sabendo várias partes do texto de cor, eu ainda me divertia e ria a riso solto, com a inteligência do texto e com as interpretações tão precisas. 

Parece que foi ontem que eu estava tão estressada e ia para o camarim de tantos teatros só para ouvir suas vozes, contando o dia, a semana. Passando o texto... Incensando o palco... Estressando com o músico que só chegava tarde.... Com o ar condicionado do teatro que quebrou...

Parece que foi ontem que entramos em um topic com destino a Vitória da Conquista. E que voltamos tão rápido porque a lavagem do Bonfim não pode esperar!!!!

Mas não foi ontem. Tudo começou em janeiro de 2012. E o ano foi tão perfeito, que foi coroado com três prêmios Braskem: melhor texto, melhor ator e melhor espetáculo. 


Desde o primeiro prêmio recebido naquela noite no TCA (Braskem de melhor texto), tudo parecia tão maravilhoso (embora merecido!) que era difícil crer naquela realidade. No prêmio de ator, todo o teatro gritou conosco, e nem ouvimos o nome! Só ouvimos o nome da peça e todo mundo no TCA gritou em uníssono! E no grand finale, lá fomos todos nós, produção, atores e diretor para o palco ovacionados pelo prêmio de melhor espetáculo de 2012. E nem sei o que eu tava fazendo lá, mas estava. 

Meninos talentosos (atores, diretor e músico). Menina retada (produtora). Menina metida (eu). Mas todo mundo muito, muito feliz! Sensação indescritível. Inimaginavelmente forte. Deliciosamente curtida. Absolutamente merecida! (pelo menos por eles... Eu só fiz marcar presença...)

And last, but NEVER least, só me resta agradecer. Ao meu anjo loiro de olho azul, que sempre me acolhe a alma e que com um riso me lembra que, por mais que queriam, "eu não te troco nessa vida por ninguém"... E obrigada ainda a ele por ter me apresentado mais um anjo que agora está sempre tão presente. Mesmo que agora ele já saiba que eu não moro em Paris...