138. E agora....

Hoje eu estava conversando com um amigo e eu disse a ele que adoro a frase "todas as cartas de amor são ridículas. Não seriam de amor se não fossem ridículas". E, acho que inspirada pela frase, depois de receber vários "eu te amo" da minha alma gêmea, resolvi rasgar a seda geral e cantar, na forma mais piegas que eu conseguir pra ele:

"E agora? Que faço eu da vida sem você?"

Mas minha vida ficou muito mais fácil e leve depois que ele entrou. Isto é fato!

E o obrigada por nunca mais sair!

Te amo, preto!

PS - Sem ciúmes, Dja... A gente conversa em breve. Rss

137. I give up!

Tentei! Ninguém pode me acusar de não tentar! Cedi e fui com meus primos ao Iguatemi ver um filme. Disse ligo de cara que eu queria ver o que estivesse mais vazio (pouco importava o filme!). A cidade está lotada. Onde você se vira tem milhões de pessoas. O shopping não era exceção.

Conseguimos entrar em "Sexta-feira 13". Média de 50 pessoas. Mesmo assim, o filme foi uma tortura! Não pelo filme em si que é bobo e não passa de uma sofrível sessão da tarde. O problema foi a platéia mesmo que insistia em "comentar" o filme DURANTE o filme! Óbvio que haviam pessoas normais que pediam silêncio, mas isso também é um porre!!! (Não, eu não vou comentar um casal que atendeu o celular durante a sessão e ainda tirou uma foto do momento singelo!)

Aí você vem e diz:

- Mas na Bahia também tem gente mal educada!

E eu digo que tem sim. Mas tem também sessão as 9 ou as 10hs da manhã, onde só vai quem é cinéfilo e quer simplesmente o prazer de assistir a um filme calmamente.

É pedir muito?

PS - E viva a internet! Baixo o filme, assisto e depois compro quando sair em DVD, para ver na minha casa. É o mais próximo do que eu possa chamar de cinema! Pelo menos enquanto eu viver por aqui!

136. Campanha

Hoje vou iniciar uma campanha: NÃO AO USO DE HORMÔNIO NO CAMARÃO. Não venha você de lá dizer que NÃO se usa hormônio no camarão. Não se usa AINDA!!! Eu hoje, depois de uma divertida conversa com um amigo (ainda) virtual, cujos medicamentos haviam acabado e ele me procurava em busca de algum, chegamos a essa conclusão: o mundo era melhor porque não havia hormônio nos frangos. Isto quer dizer que o mundo dos nossos netos também será pior que o nosso mundo hoje, porque haverá hormônio no camarão!!!!

Então já vou levantando a bandeira!

E como diria o mega-herói Chapolim Colorado: "Sigam-me os bons!"

PS - Ainda não voltamos a tomar os medicamentos, por isso o post!

135. Já é carnaval cidade, acorda prá ver!

Mas só o meu coração baiano sabe disto... Pior ainda: até o título deste post, ninguém entende que é uma alusão à música de Gerônimo... No máximo, eu receberia a pergunta: "Gero o que?"
Minhas referências todas se perdem.
Outro dia, fui buscar um amigo em casa e disse ao telefone a ele: "desça que eu não vou ficar te esperando não." Se você é de Salvador (e tem um mínimo de cultura... não fica só ouvindo Kuduro...) vai entender a referência. Para ele (o meu amigo) foi apenas uma "bronca" para ele não demorar...
Dja entenderia... Saudades dele...

Aqui, nesta nova cidade, nada acontece. Muito menos no carnaval.
Afinal, ninguém é D'Oxum...

PS - Vínicius, estou em débito com você. Mas já fui a quase todos os locais recomendados. Não voltarei a nenhum. Beijos e vou te ligar.