16. Inevitável

“Tudo que tem começo, tem seu fim. É inevitável.” Estou parafraseando não só Matrix, como também um semi-deus que se fez humano e com quem tenho a honra de conviver.

Há exatamente um ano, eu me tornei a menina que voa. Voar, me fez ver a vida por outro ângulo: o de cima. Pairar, ver todos e tudo abaixo de mim me revelou que tudo possui um lado belo. E que todas as coisas ainda poderiam ser exploradas por esse novo ângulo. Tudo me parecia novo. Tudo era novo. Eu tinha uma mão que me segurrava. E me mostrava aquele mundo novo.

Hoje fui a uma festa muito grande. Estava com amigos. Me diverti. Mas já não consigo ver a vida com aqueles olhos de um ano atrás. Me falta talvez a mão para segurar.

Há um ano atrás, comecei esse blog (em outra casa). O objetivo era escrever aquelas emoções que não cessavam de chegar e de se multiplicar. Fiz amigos virtuais e outros reais. Quase toda a minha avidez por viver eu consegui colocar aqui.

Mas tudo se perdeu. Evaporou. De uma forma, ou de outra, o tempo levou a minha certeza de que tudo daria certo. Talvez tenha ficado só a esperança. Mas nem a ela eu quero me agarrar. Não adianta dizer que “Life`s so short, move on”, quando não se quer continuar. Não tem mais motivo de ser este blog aqui. Pelo menos não com esse nome, já que o estado de espírito inicial já não existe mais.

Talvez o que de mais belo tenha acontecido na minha vida, por cause desse blog, foi eu ter acidentalmente juntado minha irmã Tacy com o seu marido Bruno (que se tornou meu filho... mas isso é uma outra história) Só por isso já valeu mesmo ter feito tudo o que fiz.

Outros amigos virtuais se tornaram reais e isso também fez valer a pena. Beijos a cada um deles, e um especial em Allan que fez tudo e mais um pouco. Neste Natal, tentou mesmo me deixar feliz. Sabe, amigo, você conseguiu. Só não se deu conta disso. Você, dentro do seu jeito estabanado de ser, me mostrou que “seguir em frente” é viver o presente sempre com um sorriso no rosto, fazendo “resenha” de si mesmo.

Me despeço agradecendo a paciência de cada um de vocês que gastaram seu tempo lendo cada uma de minhas abobrinhas. Obrigado.

Não voltarei mais a voar. Não acredito mais que tudo vai dar certo no final. Fecho essa casa. Não tem mais coerência continuar. Só eu mesma, um dia, achei que haveria.
Beijos

PS - Como me ensinou Herbert Vianna , e eu não aprendi, “o meu erro foi crer que estar ao seu lado bastaria... Ah meu Deus era tudo o que eu queria...” Só não saberia o que fazer com isso..

15. Miau!

Que fazer quando se é convidado especialmente para postar no blog de uma pessoa que se adora, sobre um tema que me é tão querido? Fica-se obrigado a aceitar... Fazer o que?

Não é todo dia que irmandades são criadas. Muito menos nos dias de hoje... Por isso mesmo é que me sinto num orgulho de pai por ser sócio fundador, junto a onze outras peças raras, da Irmandade du Chat Noir. Aos poucos familiarizados com a língua do biquinho, Chat Noir em francês significa Gato Preto. Sim, nós damos azar!!! Nem pense em vir a alguma de nossas sedes sem convite. A irmandade é secreta e somos bairristas, como todo gato.

Agora o porquê da escolha da língua francesa: Gatos adoram línguas, é fato... Como o é também, que um dos nossos Chats, Nivando, só se expressa em tal lingua, posto que se trata de um francês legítimo. Assim, para integrar ainda mais os irmãos, preferimos adotar a referida língua.

A música tema não poderia ser outra... A história de uma Gata reflete bem o espírito boêmio desses gatos.
Só voltamos pra casa pela manhã, não é mesmo, Tacy, Bruno, Tais, Déa??? Somos barrados na portaria, principalmente o Marconinho e a Juju... Sem filé... Sem almofada... Por causa de que mesmo hein, Emyo, Nando, Davi, Wicttor??? E saber que minha vida era um apartamento... Mas agora o MEU dia-a-dia, é no meio DESSA Gataria, pela rua, virando lata (de cerveja)...

Se sozinhos já éramos perigosos, juntos, tenham medo... Pensem num balaio de gatos!

Aos que ficam... Miauuuu!

P.S.1: Em breve teremos nossa caixa de areia GG em Little Hole!
P.S.2: O Leite ninho já tá batizado... NÃO... EU DISSE NÃO COLOQUEM MAIS CACHAÇA NAQUILO!!!! POR FAVORRRRR....

14. I'll be watching you. Closely.

Não adianta... Quando a gente está assim, besta, apaixonada, tudo é lindo...

Tudo bem que eu não sou nenhuma Ally MacBeal, mas ele também não é nenhum Larry. Muito menos Sting... Rss
Mas o importante é ser feliz! E seremos, pois no final vai dar tudo certo... (Totalmente internalizado!)
(Abstraiam... Achei o vídeo no "You tube" e resolvi compartilhar! É lindo!)

"Every breath you take
Every move you make
Every bond you break
Every step you take
I'll be watching you

Every single day
Every word you say
Every game you play
Every night you stay
I'll be watching you"


13. Pra fazer neném

Respondendo o título do post anterior, foi por isso que eu casei de novo! Mas é claro que desta vez o marido foi escolhido a dedo, uma pessoa fina, com savoir affer inundando-o e extravasando por todos poros, além de ser um TESÃO, que eu não casaria DE NOVO com nada menos que a perfeição encarnada.
Apesar de já termos adotado um filho em África, seguindo os passos de nossos iguais, BRAD e JOLIE e MADONNA, aconteceu um acidente de percurso e eu, que vinha tendo muitos enjôos, vertigens súbitas e síncopes inexplicáveis, me descobri grávida. A alegria de carregar em meu ser alguém fruto de um am0r tão grande enche meus olhos de lágrimas... Até agora, não consigo me controlar...
PS - Foto tirada pela Madrinha Tacy.

12. Pra que casar?

Neste findi fui ao casório de meu irmão Marconinho com a Juju em Fortaleza. Tudo perfeito. Aquele verdadeiro sonho. O Nivando até vestiu terno!!! E aí eu me pergunto? Pra que casar mesmo?

Bom, a gente faz aquela puta festa, só mesmo para os parentes todos se acabarem de comer, até sairem com a calça aberta de porque comeram demais. Parente roubando o bolo da madrinha. A gente paga uma fortuna para os amigos se embriagarem de whiskey, e beberem como se fosse água.

O mulheril gasta uma outra fortuna e todo o dia fazendo a maquiagem, para desmanchar toda na hora que a noiva entra e todo mundo se acaba de chorar.

O altar perfeito, o pastor com um belo discurso, mas os padrinhos se acabando de rir das damas, pois a Bia brigav e baixava a porrada na Lais sem parar, que, por sua vez, dizia não entender porque tinha tanta gente chorando...


Prepara-se todo o repertório das músicas, (os noivos saindo do altar com a inesperada "Bola da sabão" do Babado Novo, mas que é a música do casal) e você paga o maior mico porque a irmã do noivo e o primo Daniel resolvem fazer um discurso contando todos os podres do casal, inclusive revelando que a noiva disse que "não era tão quenga assim" e que o noivo tinha um vibrador, entre outros podres....

Bom, pra que casar mesmo??? Só para passar por todas essas raivas e no final da festa, tirar uma foto com o grande homenageado da noite: O SANTO ENGOV!!!

À Juju e a Marconinho, toda a felicidade do mundo. Amor eu sei que eles tem demais um pelo outro. Que Deus abençoe essa união e que a alegria esteja só começando (mas se o Marconinho aprontar Ju, avisa que a gente mete a porrada nele!!)

PS 1 - Não se preocupem porque eu NÃO farei o discurso nas Bodas de vocês e nem deixo o Daniel fazer também!

PS 2 - Quem quiser ver mais fotos do casório vão lá no link de Postos da Galera