133. "Meu destino não me deixar em paz"

O show dos Paralamas do Sucesso acabou de começar, aqui no Parque do Cocó. Passei a semana (mês?) dizendo que iria. E realmente até estava animada, mas hoje, após a ligação de um amigo de Salvador, vi que "não tinha perdido nada lá no Cocó", e que, mesmo sendo Paralamas, não valia a pena.

Pela TV, confirmei o que eu já sabia: primeiro o show foi aberto por uma banda medonhenta, que dava medo de ver imagine ouvir... Uma criatura que cantava música dance, tipo Simone Sampaio, mas claro que sem a graça, a presença e (principamente!) a voz de Simone. Pense em um desastre: a mulher era um pouquinho pior! Sem contar que tinha pelo menos duas vezes o meu peso (e eu, definitivamente, não sou magra!)

Enfim, como já me disse um pessoa que conheci no meu trabalho, eu nunca vou encontrar A Bahia no Ceará. Já sei. Já internalizei.

Mas eu queria pelo menos alguma coisa que eu gostasse.

Só o trabalho não basta!

PS - E como já diz os Paralamas, "tudo que eu tinha pra perder eu já perdi". A gente só caminha. Nem mais interessa onde vai dar...

7 comments:

Alberto Pereira Jr. disse...

nova vida no Ceará é?
pensei q vinhas para o sul..
beijooo

Vinicius disse...

Oi,

Acho esses shows do Cocó uma verdadeira cilada, embora eu nunca tenha ido. Sei lá, show gratuito por aqui é sinônimo de problema...

Sobre alguma coisa legal, você conhece os bares da Maria Tomásia? É uma rua sem saída, com vários bares seguidos, com música ao vivo e vida alternativa. Por lá rola samba, jazz, blues e bossa nova.

Já esteve no café Pagliuca? Tem noites com jazz e noites com blues que são muito boas. Além da noite do chorinho. Esse local é um misto de galeria de arte com pub, que vale muito a pena.

E o Alpendre da Vida, conhece? Cada dia da semana tem um gênero musical diferente. É um grande espaço, com restaurante, parque, bar e local para música ao vivo.

E o café Santa Clara no Dragão do Mar? Sei que baiano não tem hábito de freqüentar cafés, mas é um espaço agradável, inclusive para leitura.

E o observatório, no mesmo Dragão do Mar? E o espaço cultural Unibanco?

Já foi ver o por-do-sol da ponte dos ingleses? Já parou para descansar na praça dos estressados? Parou 20 minutos para não fazer nada no parque das crianças?

P.S.: essa rua sem saída faz esquina com a Maria Tomásia, não é exatamente nela. Acho que vale a pena você conhecer.

Re disse...

Não suporto Hebert Viana. vc não perdeu nada.... Te garanto... rs
beijos
Re

A Better MAN disse...

Ah, que período fértil! A busca por preencher o vazio é mesmo incessante. Hora de olhar o mundo com outros olhos, as pessoas com outro interessa, abrir-se para o amor.

Arrisca, se joga, enlouquece.
Vez ou outra a vida precisa disso.

Beijos

Pedro disse...

Já dizia o poetinha "A vida é a arte do encontro, embora haja..." Deixe de frase feita, mulher!! Até porque a verdade é que a gente nunca perdeu tudo o que tinha para perder, assim como ainda não ganhamos tudo o que temos a ganhar. Se queres frase feita aí vai uma: Não há uma noite, por mais longa que seja, que não amanheça. Já bisbilhotei seu blog o suficiente para saber a pessoa bacana que vc é. Não tá satisfeita aí, volta para onde estava; não quer, vai para um lugar novo. Mas se estás em busca de felicidade, saibas que deves buscá-la antes em você mesma. Abraço, menina.

Dedinhos Nervosos disse...

Será que vc não anda mto focada nas coisas que vc não gosta e não consegue ver 1 ou 2 oportunidades legais que até já apareceram? Todos os lugares tem coisas boas e ruins. Tenho certeza de que, com boa vontade e desapego, vc vai achar tb.
Bjos!

Dedinhos Nervosos disse...

Será que vc não anda mto focada nas coisas que vc não gosta e não consegue ver 1 ou 2 oportunidades legais que até já apareceram? Todos os lugares tem coisas boas e ruins. Tenho certeza de que, com boa vontade e desapego, vc vai achar tb.
Bjos!