Perdida

E de repente eu me perco. De novo.

O dia dos pais insiste em chegar. Todos os anos. A vontade é sempre a mesma: sumir. Na verdade, a vontade é de ter um pai. Não consigo sé me conformar por já ter tido um. Por ter tido o melhor de todos, enquanto algumas pessoas sequer tiveram a oportunidade de ter um. Mas meu egoismo é maior do que o mundo. 

Este ano eu estou pior. Resolvi colocar mais gente dentro do meu egoismo. Gente maravilhosa mas que eu não estou conseguindo poupar. E pior do que isso: quando me dei conta hoje, estava contando pra ele de toda essa dor que eu sinto. E o quanto me faz bem tê-lo por perto. E tento preencher a ausência de um com a presença do outro. E, por segundo, mando mil mensagens para ele. Mas vou respirar fundo e pedir desculpas. Agora é a única coisa que posso fazer.

E vamos seguindo em frente. Um dia essa dor acaba e me leva daqui. Nesse dia, como já disse Pixinguinha, serei feliz, bem feliz.


0 comments: